Oficina LP e Literatura II

Oficina de Ensino Aprendizagem de Língua Portuguesa e Literatura II – em construção

Ementa

Cronograma:

10/10 – Revista S – Memórias de Leitura, por Ricardo Azevedo (páginas de 6 a 9)
Escritor (por quê?) – Abilio Pacheco.
Entrevista para Oscar D’Ambrosio você pode ouvir aqui.
Link para a coleção Taba Cultural a que me refiro no texto. Veja também na wikipedia.
Felicidade Clandestina, de Clarice Lispector. (vídeo um), (vídeo dois)

11/10 – A importância do ato de ler – Paulo Freire
A polissemia da noção de leitura – Orlandi
Desafios ao ensino de leitura frente às ordens que regulam sua produção na atualidade, Luzmara Curcino
Retratos da leitura no Brasil – O link para o pdf está no final desta página que também de ser lida.

Materiais para os dias 16 e seguintes:

texto 1 – O que é Leitura – Maria Helena Martins

texto 2 – Processos de Decodificação

texto 3a – Angela Kleiman – Cap 2

texto 3b – Angela Kleiman – Cap 3 Estratégias – 1a parte

texto 3c – Angela Kleiman – Cap 3 Estratégias – 2a parte

texto 4 – Roland Barthes O prazer do texto até p29

texto 5 – Da heterogeneidade do discurso

texto 6 – Leffa – Perspectivas no estudo da leitura

 

Intermezzo

Material da Olimpíadas de Língua Portuguesa

SITE – Cadernos do Professor: Poema, Memórias Literárias, Crônica, Documentario e Artigo de Opinião.

04/12 – Culminância

05/12 – Culminância

06/12 – Culminância

07/12 – Culminância

A pequena tia Elza

Minha crônica “A pequena tia Elza” foi selecionada para a Antologia “No meio do caminho tinha um professor”. Livro organizado por Natanal Vieira e Angeli Rose.
Minha crônica é uma homenagem a minha professora alfabetizadora Tia Elza, que morava na Rua do Sol, em Coroatá, MA. Anos 80.
É uma versão atualizada mas reduzida da crônica God saves the little Elza que publiquei em 2011.

Agora é só aguardar o livro chegar.

Primeira edição – Prosa e Verso – 01

Aqui estão os links para você acompanhar a primeira edição do programa “EM PROSA E VERSO” que vai ao ar nas manhãs de sábado pela Web Rádio Líder Marabá (facebook) Direção: Abilio Pacheco. Apresentação: Lene Sousa.

As entrevistadas neste primeiro programa foram as escritoras Auridea Moraes e Aldemira Aguiar.

Você pode ouvir os áudios destes vídeos no álbum online.

Ou assistir aos blocos pelo facebook: bloco 01, bloco 02, bloco 03 e bloco 04.
( por motivos técnicos o primeiro vídeo não ficou muito bom – transmissão ao vivo tem destas coisas).

Qualquer sugestão, pedidos de alô ao vivo, informes culturais… favor enviar para meu Instagram.

Este foi só o primeiro programa. Para ser bem clichê: “A tendência é melhorar.”

Discurso de Greta Thunberg

Apenas para que eu mesmo não o perdesse, resolvi transcrever aqui o discurso que a jovem ativista sueca Greta Thunberg proferiu em 23 setembro 2019 na sede das nações unidas.
__________________________

Infelizmente, não sei os créditos desta imagem.

Minha mensagem para os líderes internacionais é de que nós estaremos de olho em vocês.
Isto está completamente errado.
Eu não deveria estar aqui. Eu deveria estar na minha escola, do outro lado do oceano.
E vocês vêm até nós, jovens, para pedir esperança.

Como vocês ousam?

Vocês roubaram meus sonhos e minha infância com suas palavras vazias. E ainda assim, eu tenho que dizer que sou uma das pessoas com mais sorte (nesta situação).
As pessoas estão sofrendo e estão morrendo. Os nossos ecossistemas estão morrendo.
Por mais de 30 anos, a ciência tem sido muito clara. Como vocês se atrevem a continuar ignorando isto?
Nós estamos vivenciando o começo de uma extinção em massa. E tudo o que vocês fazem é falar de dinheiro e de contos de fadas sobre um crescimento econômico eterno.

Como vocês se atrevem?

Por mais de 30 anos, a ciência tem sido muito clara. Como vocês se atrevem a continuar ignorando isto?
E como se atrevem a vir aqui e dizer que estão fazendo o suficiente? Quando sabemos que as políticas e as soluções necessárias não são sequer vistas?
Vocês dizem que estão nos escutando e que compreendem a urgência (deste tema).
Mas não importa tão triste e furiosa eu esteja, eu não quero acreditar no que dizem. Se vocês realmente entendem o que está acontecendo e continuam falhando em agir, vocês seriam um mal. E eu me recuso a acreditar nisso.
A proposta de cortar as nossas emissões pela metade em 10 anos, apenas nos dá uma chance de 50% de ficar abaixo da marca de 1.5ºC e existe um risco de desencadear reações irreversíveis em cadeia que fogem do controle humano.
50% pode ser aceitável para vocês. Mas estes números não incluem outros pontos como feedback, lacunas e um aquecimento adicional causado pela poluição tóxica do ar ou aspectos de equidade e justiça climáticos. Estes números também fazem com que a minha geração seja obrigada a ter que retirar centenas de bilhões toneladas de dióxido de carbono do ar, causadas por vocês, e usando tecnologia que sequer existem. Então, 50% simplesmente não são aceitáveis. Nós teremos que viver com as consequências.
Para ter uma chance de 67% de continuar abaixo da marca de 1.5ºC do aumento global temperatura, no melhor cenário do (relatório) do IPCC, o mundo teria ainda 420 toneladas giga de emissões de dióxido de carbono para emitir, em 1 de janeiro de 2018. Hoje, este número já caiu para 350 toneladas giga.

Vocês estão falhando conosco. Mas os jovens já começaram a entender sua traição.

Como vocês se atrevem a pensar que isto pode ser resolvido sem mudar nada? Ou através de algumas soluções técnicas? Com os níveis atuais de emissões de hoje, o orçamento de emissões de dióxido de carbono acabaria inteiramente em apenas 8 anos e meio.
Não haverá nenhuma solução ou planos apresentados com base nestes números que trago aqui hoje. Porque estes números são bem desconfortáveis e vocês não têm a maturidade suficiente para abordar este tema como ele realmente é.
Vocês estão falhando conosco. Mas os jovens já começaram a entender sua traição.
Os olhos de uma geração futura inteira estão sobre vocês.
E se vocês escolherem fracassar. Eu lhes digo: nós jamais perdoaremos vocês.
Nós não vamos deixar vocês fazerem isso.
É aqui e agora, que nós colocamos um limite. O mundo está despertando. E a mudança está chegando, quer vocês queiram ou não.

Obrigada.

Extraído de: [ https://news.un.org/pt/story/2019/09/1688042 ]

Para quem prefere áudio e vídeo:

ENTREVISTA para ingressar em escola… particular

ENTREVISTA para ingressar em escola… particular

Há cerca de um mês vivi uma experiência no mínimo interessante. Como a escola onde meu filho menor estuda encerrou as atividades, saímos em busca de uma para 2019.

Numa das escolas, marcaram uma entrevista – condição para ingressar na escola (lembre: particular e cara). Tínhamos que ir os três. Sentamos os três diante da pedagoga que definiu onde cada deveria sentar. Fomos alocados: os pais de cada lado do estudante e ele no meio de frente para a “entrevistadora” que ficou atrás do computador lendo as perguntas.

Ela pediu que inicialmente apenas ele respondesse. Perguntou como era seu cotidiano, se ele fazia alguma outra atividade extra-escolar, se ele assistia muito TV ou jogava muito (celular etc), quanto tempo utilizava para estas atividades, se ele se comportava na sala na escola, se fazia as tarefas de casa (como arrumar cama, guardar brinquedos…), que tipo de lanche comia… E a gente ouvindo.

Quando, enfim, os pais puderam falar, ela pediu para ele ficar caladinho e continuou fazendo perguntas agora para nós. Sempre dizendo que já estava quase terminando, até que encerrou a entrevista.

Daí eu perguntei se eu também poderia saber algumas coisas. De susto, ela respondeu que sim. Eu quis saber qual a metodologia da escola, quem era a professora e se poderia ver o livro didático.

Ela se atrapalhou para falar sobre o método, não tinha exemplar do livro para eu ver e disse que não sabia o nome da professora, mas que eu ficasse despreocupado porque eles haviam feito uma chamada de emprego, feito um treinamento com alguns profissionais que depois deram uma aula para a direção da escola e que a pessoa já estava contratada. Ah sim… e que o salário que eles pagam é o melhor da cidade.

Lembrem-se: uma escola particular! E meu filho não era candidato à bolsa. Eu não conseguia entender o porquê de tudo aquilo.

Diante do meu incômodo, eu terminei falando: que para mim (sou professor há mais de 20 anos) saber o método era importante; ver o livro didático e avaliar algumas coisas mesmo que não seja 100% como penso, também era importante; e saber quem era profissional que ia trabalhar com meu filho também. Aí fui eu que me atrapalhei. Acho tão óbvio que os pais possam conhecer os professores dos filhos (esse contato pessoal, humano, não-artificial é importante) que não consegui explicar direito a pedagoga-entrevistadora-recrutadora. Disse apenas que não estava deixando um carro numa oficina onde um selo de qualidade de atendimento é o suficiente para atestar qualidade.

Enfim… meu maior incômodo mesmo foi o processo de admissão. Nós passamos em várias escolas para escolher em qual delas matricular nosso filho, mas ali eu sentia que a escolha não era minha, não era do pagador de mensalidade, não era do cliente, não era do pai preocupado com a educação para o filho. A escolha era da escola. Como empresa, eles é que estavam selecionando seus clientes.

_______________________________

Aconteceu comigo em Marabá-PA.

Se vocês já viram algo semelhante em outro lugar… eu gostaria muito de saber a respeito