Despropósito por Aurineide Alencar

Bartimário não aceita as condições de vida da mãe, e resolve sair de casa ainda muito jovem, e vai morar sozinho na cidade de Marabá. Lá ele estuda, trabalha, vive uma vida recatada até o dia em que conhece Irma, a sua alma gêmea em Ipixuna.

Os dois se apaixonam. Irma é muita extrovertida, tem muitos parentes em Belém, mas mora sozinha num hotel onde trabalha. Os dois passam a morar juntos como marido e mulher, até que um dia ouvem um noticiário na TV sobre o Massacre de Eldorado dos Carajás. Irma parte imediatamente para Belém. Ele fica, vai no outro dia e no ônibus conhece Noemi, com quem ter uma “paquera”. Mal sabe que era tia de Irma. Vive um drama!

Conhece a família de Irma e passa a conviver com ela, por um longo período, viajando vez por outra para lá. Numa dessas viagens, sofreu um acidente ao descer do ônibus ainda em movimento quebrou-se todo. Acordando já no hospital. Lá percebeu estar sendo cuidado por Leda, dos primos, primas, até do chefe.

Bartimário a partir deste dia mudaria o rumo de sua vida, ele que pouco falava do seu passado. Ruth, numa das viagens dele, resolve perguntar o nome de seu pai, toda a sua trajetória toma, então, um caminho completamente diferente, ao passo que, a partir disso começa a ser desvendado um grande segredo.

Aurineide Alencar
Professora, escritora e cordelista de Dourados-MS
Autora de Nas veredas do Cordel, Ed. LiteraCidade, e outros inúmeros cordeis

Por Cris Beskow

Algumas notas rápidas sobre o “Em Despropósito” – por Cristina Alvares Beskow, via facebook:

Só passando aqui para dizer que li seu livro, assim que vc me deu. Acabei não conseguindo escrever na época… Quando tivermos oportunidade, um dia, conversamos sobre ele. Mas, achei bem interessante o recurso do narrador que não é escritor, mas escreve como forma de terapia, mas ao mesmo tempo acho que algumas palavras muito rebuscadas não convencem muito o leitor sobre este narrador/escritor. Achei a narrativa bem interessante, instigante e o final surpreendente. Só fiquei com a impressão que a surpresa final poderia ter sido mais alimentada. De qualquer maneira, parabéns pela obra!

Comentario por Aurelio

Resenha feita por Uerbert Aurélio e publicada em:
http://www.skoob.com.br/livro/314574

A vida e seus conflitos

Em Despropósito, o Narrador e também personagem, Bartimário, conta a partir do que é possível lembrar, pois a memórioa é falha, os conflistos familiares vividos desde sua infância. Sem a figura paterna sobre a qual é possível se espelhar Bartimário que se rotula “bastardo”, mostra ao leitor um pouco do que viveu na sua fase de infância e adolescência até chegar à fase adulta, inclusive a entrada no mundo da sexualidade de um modo precoce como podemos constatar também em “Menino de Engenho” de José Lins do Rego.
O Enredo acontece, na maior parte, nas cidades de Marabá e Belém do Pará, e tem como pano de fundo o Massacre de Eldorado dos Carajás ocorrido em 1996 na cidade de mesmo nome, em que ocorreu a morte de 19 trabalhadores rurais “Sem terra”.
Em toda a trama o narrador vai entrelaçando esse conflito com a sua narrativa e sugere que o pai, grande possuidor de terras, esteja envolvido na morte dos 19 trabalhadores rurais.
Além de ser renegado pelo próprio pai, Bartimário nos mostra toda a complexidade da vida e como o subtítulo sugere, mixórdia, a vida pode ser uma verdadeira confusão, cheia de mal entendidos, coisas por dizer e que não são ditas, mas que ficam nas entrelinhas.
Para tentar se libertar do passado opressor e que continua a oprimi-lo no presente, ele opta por participar de sessões de terapia e decide contar sua própria vida através da escrita, a qual gerou o livro, para tentar se libertas da culpa que carrega.

Uerbert Aurélio de Sousa