Terra Brasilis – Paulo Nunes

Li no facebook do professor Paulo Nunes e não me contive em deixar que o poema se perdesse no feed de tantas outras coisas e tantos outros conteúdos.

Terra BrasilisPaulo Nunes
Caio em algarismos,
sou objeção dos numerais: cardinais, ordinais
e no caixa ou sobre o cofre:
um ego ordinário tecla a máquina de calcular.

Nem sei se sou
porcento ou percento,
não hei agora o título inútil de minha humana lisura,
papel que não vale
o quadro na parede.

Caminho entre corpos, os piores são os andantes cadáveres da viv’alienação.
Não cheiram a nada, urubus e corvos são orgulho e desinteresse.

Enquanto me quedo
o barqueiro de Caronte faz seu serviço,
remar remar remar.

Todo dia a TV anuncia que caem
mil à tua esquerda,
mil e quinhentos à tua direita,
a teus pés sucumbem mais mil e poucos,
e o vizinho ambidestro aumenta o volume da eletrola,
indiscreto e vazio.

4.500 em 24 horas.
Sou inútil com os algarismos, já o disse.

Meu peito foi,
a cabeça remoída
olha descarnada as notas no jornal.

___________________
Paulo Nunes é professor universitário de literatura e poeta com vários livros publicados.
Mora em Belém-Pa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s