A educação é um investimento para o presente

A educação é um investimento para o presente

A postagem sobre o retorno de R$ 3,28 para cada R$ 1,00 gasto em educação no site da UNIFESSPA fez-me lembrar de uma coisa que ouvi do prefeito de uma cidade do interior do Pará.

Numa das viagens que fiz ministrando disciplinas pelo Parfor, o prefeito e o secretário de educação almoçaram comigo e com outros professores. Eles disseram que faziam isto uma vez por semana: iam almoçar com os professores no lugar onde os professores estivessem.

Por acaso eu me sentei em frente ao secretário de educação (o prefeito ao seu lado). Ambos falaram de suas dificuldades na vida. Eram de famílias sem escolaridade e ambos haviam estudado até a 4ª série (um perfil relativamente comum em prefeituras em cidades pequenas no norte do Brasil).

Uma das pessoas elogiou o incentivo e o empenho da prefeitura em participar do projeto para levar formação superior aos professores que já estavam em sala de aula (uma das principais finalidades do Parfor). Outro falou da educação como um investimento para o futuro.

Prefeito e secretário entreolharam-se. O prefeito pediu para o professor explicar o que seria o futuro. Ou quando seria o futuro. E a pessoa falou da educação como investimento para as próximas gerações etc (você que me lê deve conhecer este argumento – verdadeiro).

O prefeito explicou que a educação não era um investimento apenas para o futuro. Como havia explicado o meu colega. Não era apenas para daqui a 15 ou 20 anos e não era apenas no sentido de conhecimento e nível intelectual da população. A educação – segundo prefeito e secretário – eram um investimento para o presente.

Vou tentar reproduzir a longa explicação do prefeito como se fosse um discurso direto dele mesmo:

–Daqui a 2 anos, estes professores que já estão contratados pela prefeitura, ou seja, já estão inseridos no mercado de trabalho, estarão formados. O plano de carreira estabelece um novo salário para estes professores. A prefeitura não tem receita para atender este novo valor para todos os professores obedecendo o piso nacional do magistério. Assim, o governo federal vai ter que aumentar o financiamento para pagar este novo salário. Os professores depois de formados passarão a receber 80% mais que hoje. É quase o dobro. Eles vão comer melhor, vão comprar algum móvel que não tem, vão poder tomar uma cervejinha, dar um dízimo maior nas igrejas, vão poder comprar um pipoca para filhos quando estiverem passeando na praça… Muita gente vai ganhar: donos de mercado, de lojas de eletrodomésticos, de bares, pastores e padres, o pipoqueiro, e aí por diante.

Era o ano de 2012. Eu esperava que depois da pausa que se instalou entre os convivas, alguém quebrasse o silêncio. Não resisti e falei que a arrecadação de impostos também aumentaria. Ele sorriu alto e completou:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s