A obrigação de ser feliz

A obrigação de ser feliz

Numa postagem no Facebook, li Simone Pedersen falar da tristeza que é o Natal, época do ano em que as pessoas têm obrigação de ser felizes, ou ao menos parecerem felizes. É verdade, vejo, sinto isso; vejo também uma certa obrigação de solidariedade como escrevi numa crônica perdida que publiquei em 2000. As pessoas nem sempre estão sendo solidárias e promovendo um Natal melhorzinho para aqueles que vão passar o ano novo todo na penúria. Elas estão massageando-se. Estão buscando uma espécie de alívio para a própria culpa. A culpa de ter enquanto muitos não têm. E o Natal é a época do ano mais propícia a isso. A pressão pela felicidade, a pressão para ser/parecer bom, a pressão pela fraternização… Pressão que existe o ano todo, porém em menos despotismo.

Trabalhei 2 anos e meio numa escola atípica Continue Lendo “A obrigação de ser feliz”