Letra do Samba em Homenagem a Dalcídio Jurandir

LETRA DO SAMBA ENREDO DA ESCOLA DE SAMBA QUEM SÃO ELES DE BELÉM, EM HOMENAGEM A DALCÍDIO JURANDIR.
Dalcídio Jurandir – O Marajó na celebração do centenário.
Compositores: Osvaldo Garcia e Antonio D’Pádua

Chove nos campos do Marajó
Ponta de Pedras, Cachoeira do Arari
A Amazônia é o cenário
Celebrando o centenário
De Dalcídio Jurandir

Embalado pelas mãos da maré cheia
Dalcídio “camarada” Jurandir
Acabo de chegar do Marajó
Da pajé ouvi a voz
Lendas e mitos conheci no Arari
Na imaginação marajoara
O mundo começara ali

Que maravilha!
Rios, mistérios, ilhas, abraçando o mar
E a chuva que caía
Me encharcava de alegria
Deu vontade de ficar

Karuê, karuá
Tem carimbó, vaquejada ao luar
Tem lundú, siriá
Quem é de fé vai rezar
Pra São Sebastião abençoar

Quem é ele?
É urgente reeditar … e divulgar
A obra-prima literária
Do escritor marajoara
Que alguns teimam em olvidar

Quem São Eles somos nós
A voz da consciência cultural
O Pará no carnaval
Valorizando o enredo regional

Extraído de [http://www.dalcidiojurandir.com.br/blogger.html] em 16 de março de 2009.

O problema de Camões

O vestibular da Universidade da Bahia cobrou dos candidatos a interpretação do seguinte trecho de poema de Camões:

‘Amor é fogo que arde sem se ver,
é ferida que dói e não se sente,
é um contentamento descontente,
dor que desatina sem doer ‘.

Uma vestibulanda de 17 anos deu a sua interpretação :

‘Ah, Camões!, se vivesses hoje em dia,
tomavas uns antipiréticos,
uns quantos analgésicos
e Prozac para a depressão.
Compravas um computador,
consultavas a Internet
e descobririas que essas dores que sentias,
esses calores que te abrasavam,
essas mudanças de humor repentinas,
esses desatinos sem nexo,
não eram feridas de amor,
mas somente falta de sexo!’

Enviado por: “Tanto faz”, já rodou tanto.

Antologia “Palavras veladas”

Chamada para publicação em antologia literária

Nome da publicação: Palavras Veladas – Antologia de Poemas.
Instituição: Andross Editora.
Tema: Livre.
Gêneros: Poema (até 32 versos).
Prazo: 31 de março.
Email para contato: edson@andross.com.br.
Chamada completa: clique aqui.
Forma de publicação: impressa em forma de cooperativa. Cada autor se comprometerá em vender pelo menos 10 exemplares pelo preço de capa (R$ 19,00) até 30 dias após p lançamento.
Observação: Achei o valor um pouco alto e senti falta de maiores informações sobre as características da obra, mas creio que valha a pena participar – principalmente autores iniciantes ou ainda não publicados.
Observação 2: Parece-me que a Editora tem uma linha temática definida. Veja no site outras chamadas de coletâneas com temas específicos.